“Não acreditamos que esta prática seja adequada ou relevante para a Fórmula 1″, justificou o director-comercial

 

A Fórmula 1 anunciou nesta quarta-feira que deixará de ter grid girls – raparigas jovens e atraentes, vestidas de igual, que estão junto dos pilotos no início da corrida, exibindo bandeiras ou cartazes com o nome e o número do piloto. “Ainda que a prática de usar grid girls tenha sido um marco dos Grande Prémio de Fórmula 1 durante décadas, sentimos que esta tradição não está de acordo com os valores da marca e está em discordância com as normas da sociedade actual”, explicou o director comercial da Fórmula 1 (F1), Sean Bratches, em comunicado.

“Não acreditamos que esta prática seja adequada ou relevante para a Fórmula 1 e para os seus fãs por todo o mundo, novos e velhos”, acrescentou.

Num comunicado emitido esta quarta-feira, a organização de automobilismo disse que iria acabar com a “prática de longa data” já no início das competições de 2018, incluindo as corridas da série Grande Prémio – que começam a 25 de Março, em Melbourne, na Austrália. A medida será aplicada não só aos eventos principais, mas a todos os secundários associados à F1.

A organização já tinha anunciado no ano passado que estava a rever a medida, gerando controvérsia não só entre alguns adeptos do desporto, mas também de pilotos como o belga Max Verstappen ou o alemão Nico Hulkenberg, que se mostraram a favor da continuidade das grid girls.

In: publico.pt