Apesar da sua má reputação, segundo um estudo liderado por Daniel Kim-Shapiro e publicado na publicação especializada Nitric Oxide: Biology and Chemistry, os nitritos provenientes de nitratos podem ser benéficos para a nossa saúde à medida que  envelhecemos, devido às suas propriedades vasodilatadoras. A investigação concluiu que incluir nitratos na alimentação promove uma melhor irrigação sanguínea de zonas fundamentais do cérebro.

Essa ação ajuda, de acordo com os especialistas que levaram a cabo este estudo internacional, a combater o declínio cognitivo e também a perda de memória. A lista de alimentos ricos em nitratos inclui vegetais como a beterraba e o aipo e ainda legumes de folha verde, como a couve e os espinafres. Estes estão, no entanto, longe de serem os únicos produtos alimentares a potenciar a memória e a atividade cerebral.

A dietista Catherine Chegrani-Conan junta a essa lista o tomate, a laranja, o pomelo, o alperce, o pêssego, o morango, a framboesa e a cenoura, uma vez que são ricos em betacaroteno, além dos laticínios, do azeite e do óleo de noz, dos frutos secos, da sardinha, do arenque e do salmão e ainda do rim de vaca e dos fígados e corações de aves. O chocolate com 70% de cacau, o mel, o chá verde e o guaraná também ajudam a melhorar a concentração.

In: lifestyle.sapo.pt