álcool faz mal, as drogas também e obviamente o tabaco está na mesma categoria. E o açúcar?

Investigadores das universidades de Princeton e do Minnesota, nos Estados Unidos, realizaram testes com ratos que mostraram que o vício no açúcar leva à compulsão e à síndrome de abstinência.

Nos humanos, imagens cerebrais mostraram que a foto de um gelado em pacientes ‘normais’ gera a mesma sensação prazeirosa no cérebro que imagens de um cachimbo de ‘crack’ para um viciado.

A seguir ao Natal ou a uma grande festa já teve a sensação de se sentir ressacado, mesmo não tendo ingerido álcool? Pois é, a ressaca que sentiu aconteceu muito provavelmente devido aos doces que comeu.

E o açúcar está presente em diversos alimentos do dia a dia, desde o pão à fruta. Eliminá-lo da dieta é quase impossível… Porém, há algumas medidas que pode tomar…

Conheça os açúcares que consome

Um alimento sem ‘açucares adicionados’ não tem necessariamente um baixo teor de açúcar. Verifique a sacarose, a frutose, a glicose, o amido e a maltose.

Mantenha um registo

Mantenha um registo diário de tudo o que come e quando. Até pode acreditar que não come muito açúcar, mas ficará surpreendido com o resultado.

Elimine a ‘comida rápida’

A ‘fast food’ contém açúcar e o doce provoca a produção em excesso de insulina.

Escolha açúcares saudáveis

Nem todos os açúcares são maus. Há doce na batata-doce ou nas cenouras.

Coma fruta fresca no início do dia

A fruta fresca tem um elevado teor de vitaminas, mas contém frutose (o açúcar natural da fruta). Consuma fruta em pequenas quantidades e faça-o logo no início do dia.

Pratique exercício

Ao mexer-se e quando pratica desporto o corpo liberta endorfinas que o farão sentir-se melhor, sem necessitar de ingerir estimulantes como o açúcar.

Seja realista

As alterações no seu corpo não se darão de um dia para o outro e poderão passar algumas semanas até começar a ver benefícios. Seja paciente – invista tempo em si e na sua saúde.

In: noticiasaominuto.com