Os vencedores recorrentes da Liga Europa vão ter direito ao emblema que já era atribuído aos da Liga dos Campeões

Em fevereiro, a UEFA anunciou várias mudanças no acesso à Liga dos Campeões e à Liga Europa. Na altura, a organização que regula o futebol europeu aumentou para 26 o leque de equipas qualificadas automaticamente para a Champions – incluindo o vencedor da Liga dos Campeões e da Liga Europa da época anterior – e decidiu que todas as equipas eliminadas na fase de grupos do principal torneio europeu de clubes, mesmo as que ficam em último, terão uma segunda oportunidade na outra competição. Todas estas alterações entram em vigor na próxima temporada, a de 2018/2019.

Mas a UEFA não ficou por aqui. Esta segunda-feira, foi revelado um novo pacote de cinco alterações que se aplica à Champions, à Liga Europa e à Supertaça Europeia: estas, bem mais profundas do que as primeiras, prometem mudar o destino das três principais competições europeias de clubes.

1 – Jogadores vão poder alinhar por duas equipas diferentes

É o fim de uma regra que há muito causava dores de cabeça aos treinadores. A partir da próxima temporada, depois das fases de grupos, as equipas vão poder inscrever na Liga dos Campeões e na Liga Europa três novos jogadores “sem restrições”. Ou seja, os jogadores contratados durante a janela de transferências de inverno que já alinharam nas competições europeias por outro clube vão poder jogar pelo novo emblema. Se já assim fosse, o Barcelona poderia ter contado com Philippe Coutinho nos oitavos-de-final da Champions, frente ao Chelsea, assim como na próxima eliminatória, quando encontrar a Roma.

2 – Quarta substituição no prolongamento

As leis da UEFA até aqui eram simples: as equipas podiam fazer até três substituições por jogo. E “por jogo” entendia-se tempo regulamentar e tempo extra, desde o apito inicial até ao apito final. Mas a partir da época 2018/19 os treinadores vão poder efetuar uma quarta substituição – a acontecer, só pode ser feita durante um eventual prolongamento de uma eliminatória. A quarta alteração em nada influencia as outras três, que continuam a poder ser feitas quando o treinador quiser.

3 – Novos horários

É o fim das dezanove e quarenta e cinco a que já nos tínhamos habituado. Todos os jogos da Liga dos Campeões – fase de grupos, oitavos-de-final, quartos-de-final, meias-finais e final – vão começar às 20:00, hora portuguesa. Existe apenas uma exceção: durante a fase de grupos, duas das partidas jogadas à terça-feira e outras duas jogadas à quarta-feira vão arrancar às 17:55. Na última jornada da fase de grupos, os jogos começam simultaneamente.

Na Liga Europa, desde a fase de grupos até aos oitavos-de-final, os jogos vão oscilar entre as 17:55 e as 20:00 – mantendo-se a premissa de que na última jornada começam todos ao mesmo tempo. A partir daí, todas as partidas têm início marcado para as 20:00.

Supertaça Europeia, disputada entre o vencedor da Liga dos Campeões e o vencedor da Liga Europa, joga-se às 20:00 do dia 15 de agosto de 2018, em Tallinn, na Estónia.

4 – Convocatória para as finais aumenta para 23 jogadores

Até agora, todos os jogos das três competições europeias autorizavam a convocatória de 18 jogadores. A UEFA indica agora que os clubes vão poder chamar 23 jogadores para as finais da Liga dos Campeões e da Liga Europa, assim como para a Supertaça Europeia. O alargamento do lote de convocados aumenta para 12 o número de jogadores no banco de suplentes: numa fase final da época, em que os jogadores estão já fisicamente extenuados e com dezenas de jogos cumpridos nos meses anteriores, a ideia de cinco opções extra para aquela que pode ser a partida mais importante do ano só pode ser uma boa notícia.

5 – Vencedores recorrentes da Liga Europa também têm direito a emblema

Tal como já acontecia na Liga dos Campeões, os vencedores recorrentes da Liga Europa também vão utilizar na manga da camisola um emblema referente a isso mesmo. A regra aplica-se aos clubes que tenham vencido o troféu (ou a antiga Taça UEFA) por três vezes consecutivas ou por um mínimo de cinco vezes. Logo, a única equipa que vai envergar o emblema na temporada 2018/19 será o Sevilha, que venceu a competição em cinco ocasiões.

In: observador.pt